Olhando a tribulação na perspectiva de Deus (Romanos 5:1-11)

Paulo inicia o capítulo 5 de sua carta aos Romanos falando da paz que alcançamos como desdobramento da justificação que obtivemos mediante a fé pela Graça. No v.3 parte a, aparece uma expressão digna de nota “E NÃO SOMENTE ISTO”. Para o apóstolo, o nosso comportamento nas tribulações é que mostrará se realmente encontramos a paz de Deus. Logo em seguida, na parte b do versículo 3, temos uma expressão que ocorre três vezes no capítulo 5:1-11, “E NOS GLORIAMOS”. Paulo se alegrava, exultava também nas tribulações (“vos foi concedido não apenas o crer Nele, mas também o padecer por Ele” – Fp. 1:29). Quem na sua vida odeia a tribulação é porque ainda não se encontrou com a paz de Deus!

Em primeiro lugar, a tribulação produz perseverança. Sempre pensamos que a tribulação é algo improdutivo. Que não produz nada significativo. As escrituras nos advertem quanto a este equívoco. A tribulação produz, acrescenta, gera. O fruto dela é a perseverança, nos diz o texto.

Perseverança significa “permanecer sob”. Não é se livrar da tribulação, mas, sim, carregá-la. Suportar a tribulação como Cristo suportou a cruz. No dia em Paulo ousou pedir a Deus que afastasse dele a tribulação do espinho na carne, a resposta foi “a minha Graça te basta”. Quem suporta a tribulação recebe gratuitamente a suficiência da graça de Deus.

Em segundo lugar, a perseverança produz experiência. A vida cristã não é feita de palavras, mas de experiência. Não estou falando de experiência de vida, mas de experiência com Deus. Quem não é perseverante não experimenta nada!

E finalmente, a experiência gera esperança. A experiência produz esperança porque cada tribulação suportada já é um prelúdio da última vitória. Onde ainda há esperança, pode existir muita fragilidade, mas jamais haverá derrota.

Para aqueles que não têm a paz de Deus o caminho é muito diferente. Como disse Lutero: “Tribulação produz impaciência. Impaciência gera obstinação. Obstinação leva ao desespero. E o desespero confunde tudo”. Isso é o que acontece quando perdemos a Paz de Deus. Todavia, a tribulação só se transforma em esperança na vida daquele que tem a paz de Deus em seu coração. Pense nisso!

7 Comentários

  1. Concordo plenamente em tudo que está escrito. Pois pensando nas dificuldades que um dia eu preferi fugir, vejo e sinto que elas só geraram fraquezas.

  2. JESUS é o caminho para muitas provações, eu mesmo estou em grande TRIBULAÇÃO, mais DEUS PROVERÁ eu tenho certeza disso.

  3. Estou vivendo uma grande tribulaçao, desemprego, humihação, dividas, casamento preste a vir a ruinas, tenho constantemente buscado a Deus, mais Deus não me responde e nem mim dar um sinal.

  4. concordo, na estrada cristã passamos por muitas tribulaçoes e muitas das vezes em vez de perseverarmos, infelismente deixamos de acreditar nas maravilhas de nosso DEUS.
    mas, por mais que deixemos de acreditar nele(DEUS)ele jamis deixa de acreditar em nos. pense nisso.

  5. Eu creio em Deus.
    E agradeço por tudo que tem acontecido em minha vida ,pois foi através das minhas tribulações que conheci o verdadeiro amor de Deus.
    Entreguei meus caminhos a Ele,e sei que Ele tudo fará.Pois confio em seu amor.

  6. Paulo inicia o capítulo 5 de sua carta aos Romanos falando da paz que alcançamos como desdobramento da justificação que obtivemos mediante a fé pela Graça. No v.3 parte a, aparece uma expressão digna de nota “E NÃO SOMENTE ISTO”. Para o apóstolo, o nosso comportamento nas tribulações é que mostrará se realmente encontramos a paz de Deus. Logo em seguida, na parte b do versículo 3, temos uma expressão que ocorre três vezes no capítulo 5:1-11, “E NOS GLORIAMOS”. Paulo se alegrava, exultava também nas tribulações (“vos foi concedido não apenas o crer Nele, mas também o padecer por Ele” – Fp. 1:29). Quem na sua vida odeia a tribulação é porque ainda não se encontrou com a paz de Deus!
    Em primeiro lugar, a tribulação produz perseverança. Sempre pensamos que a tribulação é algo improdutivo. Que não produz nada significativo. As escrituras nos advertem quanto a este equívoco. A tribulação produz, acrescenta, gera. O fruto dela é a perseverança, nos diz o texto.
    Perseverança significa “permanecer sob”. Não é se livrar da tribulação, mas, sim, carregá-la. Suportar a tribulação como Cristo suportou a cruz. No dia em Paulo ousou pedir a Deus que afastasse dele a tribulação do espinho na carne, a resposta foi “a minha Graça te basta”. Quem suporta a tribulação recebe gratuitamente a suficiência da graça de Deus.
    Em segundo lugar, a perseverança produz experiência. A vida cristã não é feita de palavras, mas de experiência. Não estou falando de experiência de vida, mas de experiência com Deus. Quem não é perseverante não experimenta nada!
    E finalmente, a experiência gera esperança. A experiência produz esperança porque cada tribulação suportada já é um prelúdio da última vitória. Onde ainda há esperança, pode existir muita fragilidade, mas jamais haverá derrota.
    Para aqueles que não têm a paz de Deus o caminho é muito diferente. Como disse Lutero: “Tribulação produz impaciência. Impaciência gera obstinação. Obstinação leva ao desespero. E o desespero confunde tudo”. Isso é o que acontece quando perdemos a Paz de Deus. Todavia, a tribulação só se transforma em esperança na vida daquele que tem a paz de Deus em seu coração. Pense nisso!

  7. E quem disse que a vida seria um mar de rosas? kkk

    O incrédulo já passa por problemas, agora nós, os cristãos, passamos por tribulações que só suportamos, com a certeza que venceremos e sabendo que é para o nosso bem! Há alguma notícia mais animadora que essa? Hehe

    Bom, gente… A tribulação faz crescer a fé sim, pois assim como nossas habilidades devem ser aperfeiçoadas, a mais importante dela, a fé, também deve ser. Recebendo o não em nossas vidas, pois o sim significa que já estamos bons e preparados para aquilo que desejamos, mas o não nos obriga a crescer e evoluir para que futuramente sejamos APROVADOS por Deus e pela vida, assim como a Palavra fala. ;)

    “Pois todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus.”

    Oh Glória!
    A paz. ;)

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>